sonhei com você

Enquanto você se vestia recitava Neruda. Lá pela última estrofe, você me joga nos ombros e começa a andar. Quando eu começo a sorrir, você diz que quer mostrar um lugar.


Descemos um andar em direção ao subsolo. Passamos por uma grande oficina, cheia de invenções. Numa delas uma luz desliza por trilhos e nos segue iluminando o lugar. Chove muito em algum lugar lá em cima, então há várias poças refletindo uma vastidão de memórias construídas por nós. Daqui debaixo também dá para ver as goteiras que carregam lágrimas de sentimentos que lavaram a alma da cidade que habita sob nós.


Chegamos até a entrada de um túnel.


O túnel é comprido e escuro e, apesar de não conseguir enxergar o outro lado, sei que ele tem o mesmo formata da abóbada celeste. Você me estende a mão em convite para irmos adiante. Eu, mesmo sem enxergar, percebo algo nos teus olhos quentes de fogo que me faz confiar e caminhar. A escuridão toma conta de nós. Ela é imensa e nos inunda até o ponto em que a única coisa que ainda nos traz a certeza da presença um do outro são os sentimentos que temos dentro da gente.


Me agarro num instante de memória e me conecto à luminosidade que ela produz. Quando torno a abrir os olhos, há uma fresta de luz no fim do túnel. Sorrimos. Corremos. Você me joga sob seus ombros de novo.


Nosso destino é um jardim.


Inflorescências em forma de capítulos brotam do chão. Flores de lianas penduram sua beleza em arcos que se cruzam sob nossas cabeças. Paredes sustentam Heras que se agarram nelas para se sustentar. O lugar é antigo. Cheira cítrico e floral. Tem esculturas de mulheres escondidas nas flores. Ainda chove - mas a chuva agora é só uma leve garoa. Os reflexosdo sol na água da chuva iluminam o lugar de arco-íris.


Você me põe a sentar num banco e senta ao meu lado. Eu olho para o portão ao final do jardim e percebo que ele está encostado. É quase um convite. Um sopro do vento para que eu escancarre as portas e me jogue numa nova aventura. Enquanto estou perdida em pensamentos você me envolve com tuas mãos quentes e começa a sussurrar algo, mas quando teus lábios encostam em meus ouvidos, eu desperto.