ela passa as noites

revivendo os dias

que não se fizeram

ela quer voltar

mas desaprendeu a

controlar seu próprio tempo

ela dedica

a paz da manhã

​às pequenices de outrora

ela está cansada de ser só

quer voltar para si mesma

quer voltar a sonhar

ela se concentra

mas seu mundo

segue a girar

ela se encontrou na

inquietude da vida

que leva ao lado dele

ela descobriu que

ter expectativa nem

sempre é bom pra realidade

ela torce pelas

pequenas alegrias

do dia-a-dia

ela sorri

e sorrindo

ganha seu dia

ela vê
na floresta
sua liberdade

ela se abraçou com o vento
e imaginou o calor dos
braços dele

o amanhecer trouxe
pedaços de escuridão
mas ela se recusou a tê-los

ela voltou a percorrer
estradas de outrora e se
reconciliou com as memórias

a melhor coisa que ela sentiu na vida
amor, não podia exigir isso dos outros
por isso se pôs em transformação

passageira, ela constrói
uma retrospectiva de
tudo que virá

no conforto das raízes
ela aprendeu a nunca
duvidar de seus instintos

ela se levanta e vê
que seus passos
não foram em vão

ela criava migalhas de emoção
e sua mente normal se refletia
na insanidade do dia-a-dia

em movimento
ela dá ouvidos às
suas vozes interiores

ela se alegra
ao saber que ainda há
natureza para recomeçar

todos queriam ser flor
mas só ela sabia que
a receita era ter amor

ela sabia que os
pequenos encontros
sustentavam a vida

sob o céu
ela se juntava
aos semelhantes

na imensidão do mar
ela se encontrou num
tom de azul tão seu

ela descobriu que no fim
os começos vinham
com mais ânimo

ela passa na praia
e vê nas ondas
o calor do verão

ela floriu
seu caos interior
e tudo virou cor

ela reflete na lua
sua urgência de
desintoxicação

ela se protege
de tudo aquilo
que não a quer bem

 ela passa a noite
revivendo os dias
que não se fizeram
 

ela quer voltar
mas não sabe como
controlar seu tempo

o sol brilha para todos
mesmo assim ela se
sentia especial

ela libertou os gritos
saiu e encheu a mala
e o coração de sorrisos

ela se envolveu
num manto de proteção
e não se deixou incomodar

ela descobriu que
o ódio dos outros
não valia a arte dela

ela só queria
um tempo para respirar
e voltar a ser ela mesma

um alarme soou
ela se antenou
era sua intuição

ela se esconde nas flores
para absorver a mansidão
de uma florada

Retratos por Vitor Sá.

Site orgulhosamente criado com wix.com